Nada a comemorar



Olha, sempre conversamos em nossos textos aqui no rubronegrobaiano temas ligados ao nosso ESPORTE CLUBE VITÓRIA, porém hoje preferimos falar do Sport Club Internacional o último a embarcar na nave da Série “B” de 2017. Não é porque desistimos de falar do nosso Leão, pelo contrário. É que falando do Inter em 2016 nos referimos também ao
nosso Vitória, pois fomos menos piores um pouquinho que eles. Somos, tanto Vitória como o Internacional, exemplos de planejamento que nunca deverá ser seguido o que servirá e muito para os nossos novos dirigentes que serão eleitos nesta semana.


Como torcedores que somos conseguimos entender o porquê, que a torcida e diretoria do Internacional entraram em desespero com o iminente e inevitável rebaixamento do INTERNACIONAL em 2017. É como falou o Abel Braga, Técnico Campeão Mundial com o Inter: “Não tem a menor sombra de dúvida que foi um trabalho muito mal feito. (O Inter) Tá pagando o preço” disse ele. Foi simplesmente mais um planejamento furado, apenas isso, infelizmente! Coisas como a ilusão do título gaúcho de 2016. Dissemos “ilusão” devido a uma situação que é recorrente em quase todos os times de todos os estados brasileiros, com a exceção de São Paulo, que é ganhar um campeonato regional e achar que está devidamente preparado para a Série “A”. Por exemplo ganhar um campeonato baiano não quer dizer que os investimentos no plantel até ali estão no nível das equipes da Série “A”. Nem o campeonato baiano, nem o carioca, nem o catarinense, nem o mineiro, nem o pernambucano, nem o goiano, e nem tampouco o gaúcho.

Veja. Como equipes de Série “A” podem ter algum parâmetro para a formação de um bom elenco para a disputa de um Brasileirão Série “A” jogando com times infinitamente inferiores?! Os campeonatos regionais passaram a ser nada mais do que um segundo estágio nas pré-temporadas para a disputa do Brasileirão Série “A”, da Copa Sul-Americana, da Copa do Brasil, das Copas da Regiões, da Libertadores da América, ou de um possível Mundial de clubes, se as coisas saírem muito bem. Por isso o planejamento é fundamental para as etapas a serem cumpridas pelos times brasileiros: 1. pré-temporada: início dos treinos para a temporada e chegada dos primeiros contratados; 2. campeonato regional: etapa importante para os testes com os jogadores remanescentes da base e de destaques novatos contratados de outros times, além de contratações pontuais; 3. daí em diante é com vocês presidentes de clubes, diretores de futebol, gerentes de futebol e técnico de cada equipe inclusive do nosso VITÓRIA.

A história de que o Inter é time grande porque nunca caiu era folclore. O Internacional caiu em 2016 e nem por isso vai deixar de ser grande. Hoje o Flamengo, o Santos, o Cruzeiro, o São Paulo e o Chapecoense são os únicos que nunca caíram, mais eles que mantenham os seus planejamentos seguros e sempre realizados por profissionais competentes para não correrem tal risco. Às vezes culpa-se os orçamentos baixos das equipes, mas se formos comparar, o que não é preciso, o orçamento da Chapecoense é bem menor que a do Inter em 2016 e os resultados opostos. Isto chama-se: pla-ne-ja-men-to. 

Que isso sirva de aprendizado para a nova diretoria eleita no Inter como, e principalmente, para a nova diretoria do nosso VITÓRIA, que vive num eterno ôi-ôi do desse e sobe de séries no Brasileirão, juntamente com Bahia, Góias, Atlético-GO, Náutico Figueirense, Ponte Preta, Coritiba, Sport, Vasco, Avaí.

Ah!!! Sabemos que a zoeira dos gremistas com os colorados vai durar um bocado, mesmo porque esse era um dos trunfos que os colorados tinham contra os gremistas de que nunca tinham caído. Mas, sem querer botar mais lenha nesta fogueira vai ser ótimo para o Internacional jogar a Série “B” para que ele possa dar um giro por esse nosso “brasilzão”. Pois só jogando a Série “B” os gaúchos colorados adicionarão destinos improváveis dentre outros como: Maceió-AL, Natal-RN, Belém-PA, Goiânia-GO, Recife-PE, Fortaleza-CE, Curitiba-PR, Florianópolis-SC, que são as capitais, além das cidades de Pelotas-RS, Criciúma-SC, Londrina-PR, Campinas-SP, Varginha-MG e Lucas do Rio Verde-MT, Itápolis-SP e Caxias do Sul-RS, e descobrir o quão lindo e heterogêneo é o nosso Brasil. 

E ainda. Esta é uma ótima oportunidade para quebrar o preconceito, que alguns sulistas insistem em ter contra os nortistas, nordestinos e brasileiros de outros lugares, pois com o Internacional jogando a SEGUNDONA é que estes (os torcedores preconceituosos) vão saber que existe um Brasil bem maior que toda essa idiotice que alguns retrógados e ultrapassados insistem em ter por outras equipes e outros lugares do nosso país.

O nosso VITÓRIA se manteve na Série “A”, menos mal. Mas com uma vitória simples hoje, combinada com a derrota do Coritiba, o nosso VITÓRIA estaria na Copa Sul-Americana em 2017. Prejuízo financeiro. Isto é decepcionante. Sem palavras.

Já o Internacional caiu. Uma lição dada a todos.
Lição dada. Lição a ser aprendida.

0 Comentários