Lições para uma vida de sucesso

Feliz 2017!

Como torcedores do VITÓRIA estamos um pouco assustados com a atual situação do clube com relação a montagem do elenco para 2017, mas muito otimistas com relação ao futuro do
rubronegrobaiano. É o tal fechamento de contratos de apenas um ano com quase todos os reforços até agora confirmados. Isto mostra o grande furo que tem o planejamento do nosso clube, o que não é culpa da diretoria que hora assume o clube.

Três entrevistas nos chamaram a atenção e esperamos que estas sirvam para nortear a nova diretoria primeiramente na modificação do Estatuto do Clube (mudando a data da próxima eleição como prioridade), e depois que esta comece a planejar a médio e longo prazo dentro do triênio de seu mandato para a construção de um VITÓRIA mais forte e digno da grandeza que ele tem. 

Vejamos:

1. A entrevista que aconteceu logo ao final do último jogo do Brasileirão deste ano, na derrota de 1 X 2 contra o Palmeiras, que chamou a atenção de todos nós rubro-negros, que foi o desabafo bastante coerente de William Faria falando da falta de planejamento  do VITÓRIA, coisa que ele comparou ao planejamento do Cruzeiro (clube de onde ele veio), onde é feito para três anos, ou mais, e não para um ano só como é feito por aqui. 

2. Logo depois da semana de nossa manutenção na Série "A" veio a eleição da nova Diretoria - que não sabemos porque ainda é feita de forma indireta - , quando aconteceu outra entrevista, desta vez do novo Diretor de Futebol Sinval Vieira que disse que a eleição realizada dia 15 e posse dia 19 de dezembro, portanto na segunda quinzena do último mês do ano é simplesmente inviável, pois só dá a autoridade, o poder aos novos diretores num mercado bastante disputado por outros clubes na busca de reforços, enquanto a nova diretoria eleita do VITÓRIA apenas iniciando conversas ou fechando negociações apalavradas diante da incerteza da eleição para o a composição do novo plantel. É como ir fazer compras no final de feira.  

3. Já o técnico Argel Fucks que foi mantido para o ano de 2017 no comando da nossa equipe, o que achamos bastante prudente da parte da nova diretoria, pois mantém alguém que tem conhecimento do clube e sabe de suas deficiências, dele vimos uma entrevista dizendo que o VITÓRIA manteve uma "espinha dorsal" do time o que é bastante importante, e que leva o VITÓRIA a necessitar de contratações pontuais de atletas para setores que apresentaram deficiências no último certame, tendo como parâmetro dados importantíssimos no final da Série "A" de 2016, onde fomos o quinto melhor ataque e a quinta pior defesa.   

Assim, juntamos aqui em nossa análise o desabafo de um atleta experiente, a constatação de um dirigente encurralado pelas normas do clube e o conhecimento técnico do atual plantel o que nos leva a uma situação que não deve se repetir neste grande clube que é o VITÓRIA. Que este modelo de gestão seja abandonada neste ano que se inicia seja o ano das reformulações do estatuto, do pensar grande, do modelo de gestão, que façamos estes contratos agora por ser emergencial e pela necessidade da urgência, pois logo entraremos em campo contra o Sergipe pela Copa do Nordeste. Mas essa postura amadora nunca mais.

Que os contratos de Alan Costa, Fred, Leandro Salino, Rodrigão, Escudero, Gabriel Xavier, Uillian Correia, Cleiton Xavier, Marquinhos Pedroso, sejam os últimos a serem feitos a toque de caixa com os critérios fragilizados pela correria, pela urgência, e que as renovações dos contratos sejam feitas em outubro, antes de findar o Brasileirão. Que o planejamento seja replanejado na medida da necessidade. Mas tiremos das circunstâncias deste final de ano a lição de que é prioridade a mudança do estatuto para a mudança da data da eleição e democratização do clube com a realização da eleição direta, e principalmente gerir de forma planejada no futebol profissional do clube, setor que deve ter foco exclusivo da diretoria, pois os demais setores do clube crescerão consequentemente.

Feliz 2017 para toda nação rubro negra baiana!

0 Comentários