Precisamos brilhar como 'grande'

Em mais uma temporada o nosso Vitória luta para exercer efetivamente a qualidade de time ‘grande’. Já há alguns anos o rubronegrobaiano vem mostrando clara ascensão técnico-administrativo. Mesmo não ganhando o Campeonato Baiano deste ano conseguiu manter peças importantes do excelente plantel de 2013 e continuou realizando as boas
contratações que vem fazendo nos dois últimos anos. E mais, os poucos erros cometidos em contratações são corrigidos com a dispensa dos atletas equivocadamente contratados.
Sabemos que passar por esta transição (transformar-se efetivamente um time ‘grande’) não é lá muito fácil, pois dependemos não apenas de um bom time, de um bom treinador, de uma torcida empolgada nas arquibancadas ou de uma diretoria séria e coerente com o momento que vivemos. Precisamos de um título nacional que marque e sirva de marco para galgarmos este degrau e nos transformemos num time ‘grande’. Não porque ganhamos com um time bom, mas porque construímos um grande clube e consequentemente armamos um excelente time que conseguiu ganhar o título. Nada de coisa de um bom momento que depois venha parecer que aconteceu acidentalmente. O Bahia de 1988, o Sport de 1987, o Guarani de 1978, são exemplos de bons momentos e não de uma construção como a que o nosso Vitória vem fazendo.
Com estádio próprio, academia, hospedagem para os atletas, departamento médico, técnico e plantel de qualidade e uma das torcidas que mais cresce no país os vinte anos que mandamos no futebol baiano já não nos serve para instigar que somos ‘grandes’. Tem que ser um título nacional. Nem mesmo o título regional da Copa do Nordeste serve para demonstração de tal grandeza. Temos que emplacar uma Copa do Brasil e/ou um Campeonato Brasileiro para adquirirmos esta condição, pois já temos um padrão técnico-administrativo em nosso clube para nos mantermos com galhardia depois daí.

Ontem ganhamos de 2 X 1 do Grêmio de Felipão, com dois gols de Caio, e certamente logo estaremos rondando o G4 que é o lugar dos ‘grandes’.

0 Comentários