Do PLANEJAMENTO vem a postura de vencedor do Vitória

O nosso Leão é fogo puro

Depois de sofrer a sua primeira derrota dentro do Barradão no ano para um time que não vem no campeonato o Bragantino, o Vitória voltou a vencer e a nos convencer que o nosso time vai no caminho certo rumo à Série “A”. As três vitórias nos três últimos jogos nos fez realizar a melhor campanha da Série “B” desde o início da disputa por pontos corridos com 75% de aproveitamento. Melhor mesmo do que as campanhas do Vasco, Palmeiras e Corinthians quando estes passaram pela segundona. No texto SÉRIE “B” SEM
PLANEJAMENTO É DUREZA de 07/09/2011, nós falamos que:  “quem planeja desfila na Série “B”, como foram os casos do Vasco [76 pontos], Palmeiras [78 pontos] e Corinthians[85 pontos]” (ver aqui no rubronegrobaiano.blogspot.com), estes desfilaram pela Série “B” indo de volta imediatamente no ano seguinte para a elite do futebol brasileiro porque  planejaram, e no caso do Corinthians o planejamento o levou a ser campeão da Série “A” no ano seguinte e mantendo um ótimo nível em suas disputas chegou agora a ser campeão da Taça Libertadores de América
Quer dizer da Série “B” para Tóquio. 
Isso é PLANEJAMENTO.


Não tem pai da criança!

Sempre quando as coisas correm bem seja no futebol, ou em qualquer setor da vida, aparecem àqueles que querem tirar proveito para lucrar de alguma forma com o momento positivo vivido. No Vitória esse momento deve ser creditado a uma política da administração do clube que resolveu profissionalizar o gerenciamento do futebol rubro-negro, e desde então a contratação do Gerente de Futebol passou a ter igual importância à contratação do técnico e de seus atletas. Somado a tudo isso está o histórico de clube revelador de craques vindos de um dos melhores trabalhos de base do mundo, além do amadurecimento da consciência administrativa do nosso Presidente Alexi Portela e demais dirigentes. No ano passado, por exemplo, essa política já havia sido posta em prática, mas um gravíssimo erro pôs o projeto à pique que foi a contratação de muitos “jogadores experientes” com idade acima de trinta anos elevando a média de idade do plantel, e o que foi pior dando às costas aos talentos fomados em casa e assim a base ficou esquecida. Resultado: faltava pernas ao nosso time e por isso perdemos alguns jogos nos finais das partidas. No final do campeonato por um ponto não subimos para a Série “A”. Depois da chegada de Chumbinho na Gerência de Futebol, o Vitória iniciou uma nova era não apenas em busca do acesso, mas que lastreará o rubro negro baiano como um forte clube do futebol brasileiro. Depois das saídas de Chumbinho e Cerezo o palenjamento foi mantido e colocado em prática pelo Gerente de Futebol Queiroz e pelo exigente, estrategista e sério Técnico Carpegianni:
- contratações de experientes, mas ainda jovens atletas como Deola, Vitor Ramos, Pedro Ken, Dinei, Tartá, Marco Aurélio, Eduardo Ramos, William;
- dispensas de todo aquele atleta que não corresponder as expectativas do comando técnico a exemplo de Dener, Renan, Rildo, Xuxa, Lúcio Flávio, etc; e empréstimos dos atletas da casa que não estavam sendo utilizados como Renier, Esdras e outros, evitando gastos desnecessários com um plantel inchado;
- utilização de atletas da base não só para para renovação, mas também como lançamento de novos talentos como Léo, Gabriel, Wille, Leílson e outros.
O resultado de todo esse trabalho taí.

1 Comentários

  1. Parabéns pelo brilhante texto!!! Está ai a formula do sucesso em 2012.

    ResponderExcluir