Deu pro gasto


São Victor Ramos, o salvador da pátria
O Vitória não teve uma boa apresentação apesar de dominar amplamente o primeiro tempo. Com o time avançado e com uma marcação que fechava os espaços sufocando o adversário em seu campo de jogo, o rubro negro baiano dominou a primeira etapa, mas só não obteve sorte nas
finalizações apesar de colocar duas bolas na trave com Neto Baiano e Marquinhos, este fazendo o centésimo jogo pelo Vitória.
Ao voltar do vestiário para a segunda etapa apareceu no Vitória, quem faria a diferença naquele jogo. Já no primeiro minuto do segundo tempo depois de um cruzamento de Tartá apareceu dentro da área do Guarani o zagueiro Victor Ramos que desviou a bola para as redes. Na comemoração correu para o escudo do clube o beijou, e batendo no peito levantou a outra mão dedicando à torcida aquele valioso tento.
Quando todos no Barradão acreditaram que o Vitória ampliaria o placar e consolidaria seu triunfo com uma boa vantagem no placar, o nosso time recuou perigosamente e aí apareceu um paredão em frente ao gol de Douglas chamado Victor Ramos. No segundo tempo levamos um sufoco enorme, e foi aí que Victor (que já havia marcado o gol) apareceu com segurança cobrindo as falhas das laterais retirando a bola dos pés dos atacantes do time paulista, e com uma presença marcante dentro da área do Vitória, garantiu assim os três pontos para a nação rubro negra baiana nesta árdua caminhada de volta a Série “A”.
Com a escalação de Neto Baiano, Dinei e Marquinhos, acreditamos que tenha faltado fôlego ao nosso time que manteve um ritmo frenético no primeiro tempo. Não somos contra ao time ir pra frente, mas é quase certo que contra o Goiás, em Goiânia, Carpegianni trará de volta Eduardo Ramos para o lugar de Dinei o que protegerá mais a retaguarda do nosso time.          
Com estes três pontos garantimos a presença no G-4, com a terceira colocação temporária da Série “B” com 13 pontos. Agora é trabalhar bastante para manter-nos sempre neste grupo. 

0 Comentários