Histórico e motivador os 3 X 2 contra o ABC

Depois de marcar o segundo gol o ABC ficou até os 33 minutos do segundo tempo classificado. Já para o Vitória que regulamentarmente tinha a obrigação de fazer três gols no seu adversário nos 15 minutos restantes para se classificar, algo que até ali era quase que impossível. Mas com um gol que foi uma pintura, e dois de
pênalti (ambos indiscutíveis), Neto Baiano se tornou o maior artilheiro da história do Barradão marcando seu quadragésimo sexto gol. Com essa performance o artilheiro selou a passagem do Vitória para as oitavas de finais da Copa do Brasil.

Dando o braço a torcer

O técnico interino rubro negro Ricardo Silva, marcou além da manutenção do Vitória na Copa do Brasil, marcou também pontos a favor de sua permanência em frente da Comissão Técnica rubro negra. Contra fatos não existem argumentos. Ao selecionar Tartá para se juntar ao grupo na concentração para o jogo contra o ABC, o técnico Ricardo Silva mostrou ter conhecimento de causa além de uma estrela da qual o Vitória precisará e muito nesta empreitada. Não queremos aqui defender, ou não, a sua efetivação, apenas estamos dando a este profissional os créditos que seu trabalho vem lhe rendendo. Se prestarmos atenção no chamado de última hora que Ricardo Silva fez ao jogador Tartá, e o que este fez quando entrou dando o passe para o segundo gol e sofrendo o pênalti que gerou o terceiro gol, ambos marcados por Neto Baiano, mostra bem o que estamos falando.

Manter o foco

Agora é esquecer o ABC e concentrar na primeira partida da semi-final contra o Feirense. O certo é a ausência de Marquinhos que está contundido e esperamos a volta de Romário, pois mesmo com Léo sofrendo o primeiro pênalti sentimos a falta de algo pela ala direita. Outro que faz falta é o Gabriel, que precisa voltar o mais rápido possível para a zaga do Vitória, que falhou nos dois gols do ABC.