Síndrome do G-4



Repete-se o drama. Todas as vezes que o Vitória bate à porta do G-4 algo acontece de estranho e o time não acessa o tão sonhado grupo dos quatro. A maioria das vezes por contusões e/ou suspensões de jogadores titulares, mas desta vez foi num jogo difícil o nosso goleiro Fernando[foto], como todo humano falhou.  No início do jogo o time mostrou-se tranqüilo, mas logo aos treze
minutos aconteceu o que ninguém jamais imaginaria, numa bola um tanto fácil chutada sem muitas pretensões, o nosso goleiro espalmou para no rebote o atacante do ICASA fazer um a zero. Era tudo que o ICASA queria: fazer um gol e correr para retranca. Pense numa retranca bem feita. O goleiro deles me fez lembrar de um termo nunca mais ouvido nas resenhas futebolísticas: o goleiro "fez uma cera danada" [prendia a bola demasiadamente]. Isso tirou a tranqüilidade de alguns jogadores do Vitória que não conseguia romper o sistema defensivo deles. Como no segundo tempo só dava Vitória, apesar de desorganizado, uma hora o gol sairia como saiu. Num pênalti batido por Neto Baiano aos 41 minutos para alívio da torcida rubro negra que marcou boa presença, e fez sua parte nas arquibancadas.
Mas Série “B” é isso mesmo!
Não esmoreçamos. Continuemos firme em nosso propósito.      

0 Comentários