Última chance de irmos para a Série "A"


Não achamos que o triunfo do Vitória sobre o Salgueiro venha ser a solução para todos os problemas que acumulamos nessa Série “B”, mas a atitude do time neste jogo foi outra. Mas muito mais do que isso a intervenção do Benazzi foi algo decisivo para a nova postura do nosso rubro negro.
Quem?
Digam-nos quem imaginava a utilização de Léo Fortunato numa zaga com três zagueiros, Marquinhos jogando mais na frente e utilizar Geraldo no banco substituindo Lúcio Flávio no segundo tempo no jogo contra o Salgueiro?
Quem?
Léo Fortunato, por não vir muito bem no início, havia sido esquecido na suplência e
pronto. Agindo assim, Benazzi mostra que conhece da matéria e independente de jogarmos com os esquemas táticos [5-3-2; 4-4-2; ou 4-3-3] não importa, é saber utilizar o plantel da melhor forma possível como foi usado no jogo passado. Sabendo que cada jogo é um jogo. E aí levantaremos o moral dos atletas, que em contrapartida produzirão o esperado. 
O que ficou de positivo foi o resgate da auto-estima do time que se elevou; a marcação dos três pontos [isso foi fundamental]; e individualmente faz com que cada jogador saiba que será utilizado em qualquer rodízio desses esquemas táticos escolhidos pelo comandante Benazzi. Marquinhos é um exemplo disso que disse se sentir muito bem jogando mais na frente. Zé Luís foi escolhido para a seleção da rodada por um site esportivo; Geraldo, que ficou no banco, saiu falando: “esse é o Vitória; Já Léo Fortunato disse: “conseguimos nos impor”. Com essa  postura o Vitória, tem todas as condições de reagir no torneio.
Um zagueiro, um lateral-direito e um atacante foram os pedidos de Benazzi para o Presidente Alexi Portela [foto] para fortalecer o grupo. Mesmo dispensando os seis atletas na semana passada [que não mostraram muito], o Vitória terá que buscar estes reforços para poder escalar a tabela rumo ao G-4.
CONCLUSÃO
Wagner Benazzi tem que dar certo para o bem da nação rubro-negra.

0 Comentários