Só resta ao Vitória correr atrás


Apesar da confiança dos jogadores e da torcida [esta nunca desiste], amanhã estaremos vivendo um momento bastante delicado para o futuro do Vitória. Não é apenas ganhar o jogo. É ganhar o jogo e iniciar uma recuperação de muita necessidade para as pretensões do clube, que é retornar de imediato à Série “A” do brasileirão.
Benazzi que chegou outro dia já notou que a rapaziada que veio como solução dos problemas enfrentados pelo time neste início de campeonato não disseram muito pra que
vieram. Na chegada das primeiras contratações houve até um esboço de reação e só. Voltamos ao ponto de partida. Com muitas outras contratações como Edu, Xuxa, Jérson Marquinhos, GeraldoLúcio Flávio

e outros o time não reagiu nada ainda. Destas contratações só Zé Luis e Rodrigo Mancha [este teve que ser operado] que compuseram bem o meio, Maurício que encaixou na zaga no lugar de Léo Fortunato que “degrigolou” de vez, além de Fernadinho que resolveu de vez o problema da ala esquerda. Agora entre e os meias e atacantes que chegaram na Toca, todos estão devendo e muito. É como disse o próprio Benazzi: “quem foi contratado para resolver e não está resolvendo agora é cobrado”. Nada mais justo.
Em nossa visão Geninho errou em dois pontos cruciais: 1. Não utilizou os jogadores oriundos da base. Só Neto Coruja teve vez com ele; 2. e o mais grave, encheu o time de meias e nem no banco o cara escalava um atacante . Falamos isso porque Geninho colocou os caras para jogar. O time de Benazzi não vai ser muito diferente. Será uma ou duas substituições entre meias e atacantes e só.
Amanhã estaremos na terra natal do Rivaldo [da seleção], na cidade de Paulista-PE pertinho de Recife, jogando contra o Salgueiro um time totalmente desconhecido pra nós. Mas é exatamente de lá que nós reiniciaremos a volta ao G-4.
Vamos aos nossos números na Série "B": de amanhã em diante faremos 24 jogos, num total de 72 pontos. Sabendo que a média de pontos dos clubes que acessam a Série “A” é de 62 pontos, e como o Vitória  conseguiu 17 precisaremos, média, de 45 pontos. São 15 vitórias em 24 jogos.
A missão é árdua, mas não impossível.       

0 Comentários