Muda, muda e nada!


Voltamos ao ponto de partida em pleno campeonato.
Quando a torcida e a imprensa falam da falta de planejamento, às vezes a direção rubro-negra se chateia e tenta se explicar o inexplicável.
Mesmo sabendo da exigência do calendário com um grande número de partidas para um clube como o Vitória que já sabia de suas participações em 2011 no Campeonato Estadual, Copa do Brasil, Campeonato do Nordeste e Brasileirão Série “B”, bastava sentar-se para um planejamento em médio prazo para as suas participações durante o ano. Fizemos um Campeonato Baiano com um final melancólico, A Copa do Brasil (buum!!!). E ao iniciarmos a Série “B” parecia que todas as contratações realizadas até ali já eram suficientes para retornarmos à
Série “A”.
Ledo engano.
Taí! Demitimos Antonio Lopes e contratamos Geninho que teve uma média bem abaixo do desempenho de Lopes. E ainda contratamos mais de duas outras equipes e nada.
Chefiando a comissão técnica Ricardo Silva assume contra o Náutico. Enquanto isso se falam de Márcio Araújo [que já esteve no Jaía e não vimos nada], de Cuca [que não ganha nada], PC Gusmão, Celso Roth, Toninho Cerezo [esse é sempre lembrado quando algum técnico cai no Vitória], e tem um tal de Gilson Kleina  (foto), que vem bem na Ponte mas... nós não o conhecemos.  
E mais hoje o Vitória tem Diretor de Futebol Beto Silveira, Gerente de Futebol Oscar Yamato, e contratamos um outro profissional, o Diretor Executivo de Futebol o Newton Drummond [este traz no currículo as últimas conquistas do Internacional] para mandar também no futebol rubro-negro.
E cabe tanta gente assim?!  

0 Comentários